sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Investidor qualificado - O que significa, quais as vantagens, e como se tornar um

Frequentemente encontramos nas corretoras ofertas de investimentos "somente para investidores qualificados". Em geral estas ofertas oferecem taxas bem maiores do que as ofertas comuns.

Notamos a existência de investimentos exclusivos para investidores qualificados em todas as áreas das finanças: Fundos de investimentos, FIDC (fundos de investimentos em direitos creditórios), debêntures, CRA, CRI, ações, etc. Quando você tenta investir nestes produtos, recebe a notícia de que não poderá continuar, pois "não é um investidor qualificado". 

Nós, "pessoas comuns", sabemos que certamente não somos "qualificados" em nada. Mas afinal de contas, o que é um investidor qualificado, e como se tornar um?

Quando perguntamos na corretora, a resposta que obtemos é: "É quem tem mais de um milhão investido." . Mas vamos ver de onde vem essa resposta. O conceito de investidor qualificado fo criado pela CVM (comissão de valores mobiliários), para separar os investidores em duas categorias: Os que possuem um grande conhecimento técnico, e os leigos em investimentos. Uma vez criadas as categorias, seria possível criar investimentos que envolvessem maior risco, ou com características difíceis de entender, que passariam a ser exclusivos para os tais "investidores qualificados". O objetivo de tudo isso é proteger o pequeno investidor. Sabemos que as pessoas comuns - nós - muitas vezes ficam fascinadas por altas taxas de rentabilidade, e é comum ouvirmos coisas do tipo "Não tô nem aí pro risco, se render mais eu tô dentro!".  Sabemos que uma das funções do governo é justamente proteger o cidadão e o patrimônio, e colocando essa limitação evita de que as sardinhas se metam em investimentos de tubarão; que envolvem fatores de risco mais complexos ou maiores.

A instrução da CVM numero 554, de 17 de dezembro de 2014, define assim as categorias de investidores: 

Art. 9º -  São considerados investidores qualificados:
  • investidores profissionais;
  • pessoas naturais ou jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) e que,  adicionalmente, atestem por escrito sua condição de investidor qualificado mediante termo próprio.
  • as pessoas naturais que tenham sido aprovadas em exames de qualificação técnica ou possuam certificações aprovadas pela CVM como requisitos para o registro de agentes autônomos de investimento, administradores de carteira, analistas e consultores de valores mobiliários , em relação a seus recursos próprios; e
  • clubes de investimento, desde que tenham a carteira gerida por um ou mais cotistas, que sejam investidores qualificados.


Vejamos o que interessa para nós, sardinhas, desse texto acima. Os investidores profissionais, que antes eram conhecidos por "ultra qualificados", diferente do que pode parecer, não são traders. São uma categoria a parte, composta por bancos, agentes autônomos de investimento e analistas autorizados pela CVM, e pessoas que possuem mais de 10 milhões investidos. Portanto, você não é um investidor profissional só porque aprendeu a fazer day-trade de mini índice. Mas isso tudo não importa, pois até onde eu sei não existem investimentos específicos para investidores profissionais. O importante é ser "qualificado". 
Se você possui 1 milhão investido - ou seja, já é um milionário - você é qualificado. Mas se você está lendo este post, é porque não possui essa vultosa quantia, não é? Então o que você pode fazer para se tornar qualificado? 
Simples! Obtendo as certificações técnicas. Você não precisa ser um analista ou agente autônomo de investimentos para ser qualificado, basta passar nas provas de certificações e possuir o diploma. 
Mas quais são essas provas? Bem... abaixo vou colocar quais são as provas que transformam qualquer sardinha em tubarão... o custo para fazer a prova, e até mesmo como conseguir material de estudo grátis! 

AVISO ANTES DE CONTINUAR - As informações abaixo são somente sobre como ser aprovado nos exames, com único objetivo de se obter o título de investidor qualificado. Não se trata sobre obtenção da certificação para fins profissionais, o que poderá exigir outros tipos de pré-requisitos (como experiência profissional ou inscrição nos órgãos reguladores). Uma vez que você seja aprovado nos exames, receberá um certificado de aprovação, que será suficiente para se tornar investidor qualificado, mas no caso específico do CFP, para obter a certificação que dá direito a exercício profissional é necessário comprovar 3 anos de experiência no mercado financeiro.


Exame: Agente Autônomo de Investimentos da ANCORD
Onde se inscrever: ANCORD
Valor da inscrição: R$  420
Pré-requisito: Não há (todos podem fazer a prova)
Características da prova: É uma prova de múltipla escolha, feita semanalmente em todas as cidades do Brasil com mais de 300 mil habitantes. Contém muitos cálculos de juros compostos, podendo utilizar calculadora financeira (HP12C). A prova é bem difícil, envolvendo legislação sobre investimentos, fundos, hedge, opções, mercado futuro, ética em investimentos, mercado financeiro no Brasil, economia, e legislação específica para agente autônomo de investimentos. Se tente fazer essa prova se você não é fera em todos os assuntos acima, pois será dinheiro jogado fora.
Conteúdo: Ética profissional, Lavagem de dinheiro, índices, indicadores e taxas de juros, Sistema Financeiro Nacional, Instituições e intermediadores financeiros, risco e retorno de investimentos, mercado de capitais, mercado internacional, mercado a termo, futuro e opções, tributação, fundos de investimentos, securitização de recebíveis, clubes de investimento, matemática financeira (juros simples e compostos), titulos de renda fixa, derivativos, tributação de derivativos.
Onde fazer simulado da prova: Edgar Abreu

Que outras provas de certificação podem me tornar qualificado?


Como você pode ver, todos os outros exames de certificação são mais caros, sendo que o CNPI e o CFP envolvem várias provas realizadas em dias diferentes. Portanto, não vale a pena fazer nenhum dos outros para se tornar um investidor qualificado. Lembre que o objetivo de nossos investimentos é ganhar dinheiro, e não gastar. Ficar colocando capital em cursos e certificados não vai trazer nossa independência financeira, portanto gaste o mínimo possível. 

Vale a pena lembrar que para se tornar um investidor qualificado, basta ser aprovado nas provas e ter o certificado. Não é necessário obter a certificação, fazer inscrição na Ambima ou afins, pagar anuidade, trimestralidade, nada disso. Mesmo no caso do CFP, basta ser aprovado no exame, você não precisa ser profissional da área e nem ter experiência comprovada, se o unico obejtivo é ter acesso aos investimentos exclusivos (obter a qualificação).

"-Tá certo Gatinha... você ensinou como faz. Mas vale a pena ter esse trabalho todo?"

Olha... apesar de eu ter escrito o post, acho que ele é mais de caráter informativo do que prático, porque ao meu ver não vale a pena esse empenho todo para se tornar investidor qualificado. Veja alguns prós e contras:

Prós:

1. Estudando para a prova, você aprende um monte sobre investimentos. Esse conhecimento ao longo do tempo vai te dar mais dinheiro do que os investimentos "seletos" em si.
2. Você tem acesso a investimentos que pagam taxas em geral 1% a 2% maiores ao ano.
3. Você pode se exibir para os amigos (apesar de parecer fútil, quem não gosta de ser admirado?)

Contras:

1. Os prospectos de investimentos para investidores qualificados fornecem menos informações ao investidor, e podem ter maior risco. Vários "avisos" sobre risco de perder dinheiro, que são obrigatórios em investimentos comuns, não vão existir nos prospectos para investidores qualificados. Então apesar da taxa maior existe também um risco maior.
2. Se você tem menos que um milhão, o que importa mais são os aportes; as taxas tem participação pequena no crescimento do bolo.
3. Quando você tiver bastante dinheiro, daí você já vai ser qualificado de um jeito ou de outro, portanto não vai precisar fazer a prova.
4. Boa parte dos investimentos "só para qualificados" podem ser comprados no mercado secundário sem muita burocracia; em geral essa coisa de qualificação é mais cobrada para IPO mesmo. Vários fundos imobiliários que foram lançados como fundos para investidores qualificados são negociados livremente na bolsa (ex: CPTS11)

5. Se tornar um investidor qualificado abre um leque teórico de possibilidades. Mas simplesmente pegar o valor da inscrição para a prova (R$ 450) e investir vai dar um retorno garantido e imediato.
6. Você consegue montar uma carteira muito boa e rentável sem essa frescura toda.

Conclusão:

É importante conhecer mais essa ferramenta que temos ao nosso dispor. Se você quer fazer as provas de certificação para adquirir novos conhecimentos e abrir novas fronteiras, ótimo. Mas o custo-benefício para se tornar um investidor qualificado sem ter R$ 1 milhão é desfavorável, então eu não recomendo; simplesmente acho que não vale a pena o empenho.

Certo gente? era isso que eu tinha para contar hoje!! Espero que tenham gostado da postagem! Agora bora trabalhar, ganhar dinheiro e economizar! =^.^=

12 comentários:

  1. pourra gatinha! lindo demais ver que as mulheres estão revolucionando até na blogosfera, você me inspirou a fazer meu blog sem medo de ser feliz, add seu blog no meui blograll, por favor add o meu se gostar ok? https://investidorcuckold.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cuck! Estarei acompanhando seu blog, ok? Creio que há espaço para todo tipo de manifestação e diversidade na blogosfera.... desde que não tenhamos discursos de ódio e haterismo, todos serão bem vindos aqui. :)

      Excluir
  2. Será que vale a pena se "qualificar" para pegar essas taxas maiores? Não lembro de nenhum blogueiro ter se qualicado para isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de eu ter escrito o post, acho que não vale, por vários motivos motivos; a idéia foi só informar mesmo, mas fazer essas provas demanda dinheiro e estudo demais. Acho melhor pegar os R$ 450 e investir de uma vez. Vou dar uma editada no post, colocar "motivos para não se qualificar"

      Excluir
    2. GI,

      Acho que o problema não é nem a inscrição ... pelo menos pra AAI, você paga uma taxa trimestral, na minha época era menos de 200 reais ... hoje sei que é bem mais cara ...

      Abs,

      Excluir
  3. Maravilhoso post!!!

    Estou tentando ser investidor qualificação melhorando a qualidade e a diversificação dos investimentos.

    Na minha carteira de investimentos consta um FIP, que é uma modalidade de investimento exclusivo para investidores qualificados, mas facilmente acessível para investidores de varejo.

    Que seus investimentos tenham excelentes retornos!!!

    ResponderExcluir
  4. Sim, existem investimentos exclusivos para investidores profissionais, entre eles os Fundos Exclusivos (para um só cotista) e os Fundos Restritos (para poucos cotistas, até 20) e têm como finalidade vantagens tributárias e blindagem patrimonial, entre outras vantagens e só são vantajosos para patrimônios a partir de 10 milhões de reais. Existem também outros investimentos exclusivos para investidores profissionais, que no momento não me recordo, mas ao me lembrar, eu posto aqui.
    Felicidades!!!

    ResponderExcluir
  5. GI,

    Dessa eu não sabia ... já fui aai ...

    Abs,

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post Michelle. Era exatamente minha dúvida. Fiquei com vontade de estudar e fazer a prova. Tenho visto taxas superiores para esse tipo de investidor na minha corretora de investimento que compensam. Obrigado!

    ResponderExcluir
  7. Você sabe onde posso conseguir as provas simuladas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No site do Edgar Abreu tem de graça... é só escrever no google.

      Excluir