terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Independência financeira: Não tem nada a ver com juntar ou ganhar dinheiro.


Com a evolução da internet, existe tanta informação disponível hoje sobre dinheiro e investimentos; existem corretoras e bancos online, home brokers, e tudo está acessível para o cidadão comum. Todas aquelas opções que até pouco tempo eram restritas para especialistas. Lendo os blogs de finanças, parece que todo mundo é um expert no mercado de fundos imobiliários e finanças... Todo mundo fica falando na tal independência financeira, e contando quanto tempo falta para se libertarem.

Mas... será que o dinheiro realmente liberta? Ou será que o dinheiro na verdade é que aprisiona e acorrenta essas pessoas que acreditam que o dinheiro as libertará?

Veja bem... quando essas pessoas dizem que o dinheiro irá libertá-las, elas descrevem o vilão como uma vida medíocre, um trabalho insuportável, um chefe chato, uma vida de restrições e consequente infelicidade. Elas acreditam, assim, que a liberdade e a felicidade será finalmente alcançada quando conseguirem juntar uma grande quantidade de dinheiro - o mítico "milhão" e seus consequentes dividendos mensais.

Eu e você queremos ter a nossa independência financeira. Mas... realmente faz sentido ficar juntando dinheiro para isso? Durante muito tempo fiz essa pergunta para mim mesma, e a cada vez mais me convenço de que a independência financeira não se consegue juntando mais dinheiro. Me convenço mais e mais que juntar dinheiro nos torna escravos dele, e nunca nos libertará.

Você já deve ter visto uma daquelas propagandas ou até ter recebido e-mails da Empiricus, prometendo a você mundos e fundos, dizendo que se usar a estratégia inédita deles irá transformar 30 reais em 1 milhão... e que assim finalmente conseguirá sua independência financeira, não é?

Imagem ilustrativa
Você acha que o erro da propaganda deles é a óbvia impossibilidade de conseguir essa milagrosa multiplicação do dinheiro? Errado. O erro da propaganda, é vender a nós a idéia de que conseguir uma grande quantidade de dinheiro nos deixaria feliz.

Cada vez que recebo um desses e-mails da Empiricus eu penso comigo mesma:

 "-Independência financeira? bem... eu já tenho a independência financeira."

Mas a minha independência financeira não parece nada com o que as propagandas da Empíricus me tenta vender, e nem com o que leio nos manjados e repetitivos blogs da finansfera. Independência financeira parece ser uma palavrinha mágica de toda uma legião de sonhadores. Um objetivo quase divino de dezenas de milhares de pseudo investidores. Tanta gente tentando melhorar sua vida financeira, o que é bom. A gente deve, claro, melhorar nossa vida financeira, a gente deve buscar crescer financeiramente. Infelizmente, eu percebo que a maioria dos contadores de centavos tem uma perspectiva errada sobre o que isso significa, e seguem em um caminho que nunca vai levar a uma verdadeira independência financeira.

Embora seja um objetivo de tanta gente, e apesar de eu ter passado muitas e muitas horas dos últimos 12 meses estudando sobre formas de investir e multiplicar o dinheiro, eu não tenho tanta certeza assim do que significa essa tal independência financeira - como dá pra perceber lendo meu blog.

O que é a independência financeira? Uma ilusão? Ela pode realmente ser alcançada?

Após muita reflexão e introspecção, hoje eu entendo que sim, é possível atingir a independência financeira.

Mas para minha - e sua - surpresa, não tem nada a ver com ganhar ou acumular dinheiro. Atingir a independência financeira significa outra coisa. Explico.

Vou repetir, pois creio que isso seja importante: Atingir a independência financeira não tem nada a ver com o quanto dinheiro você acumulou ou ganha.  Portanto, se você busca sua IF juntando dinheiro, é hora de repensar sua estratégia de forma drástica.

Eu imagino que você deva estar pensando: "-Michelle, você tá louca! Como pode dizer isso num blog de investimentos??". Mas é isso mesmo. A sua independência financeira não vem do seu exterior ou da quantidade de zeros de sua carteira, ela vem do seu interior, vem dos seus pensamentos, vem de dentro de você.  É por isso que você vai encontrar algumas pessoas extremamente felizes e satisfeitas, mesmo sem ter dinheiro algum (como por exemplo as tias da cantina ou zeladoras da escola), e também vai encontrar médicos e advogados de sucesso totalmente infelizes com sua relação com o dinheiro e a vida. 

Você conhece alguém que está satisfeito com sua vida mesmo sem ganhar muito dinheiro? Essas pessoas dizem que tem um bom emprego, uma boa família, que tem suas coisinhas e vivem bem com elas. Elas parecem estar em paz consigo mesmas. Todos nós conhecemos alguém assim. Talvez não sejam muitas pessoas, mas todo mundo conhece alguém assim. Estas pessoas atingiram a verdadeira independência financeira.

Você conhece alguém que só reclama da vida e se lamenta, e ganha mais que você? Talvez você mesmo seja assim? Gente que está acorrentado por sua relação com o dinheiro, tem dívidas, prestações, preocupações... a liberdade passa longe.

O fato é que existem pessoas que não tem nada e estão felizes; existem pessoas que tem muito e são infelizes. Portanto, o primeiro passo pra atingirmos a independência financeira é entender que se trata  mais de um ponto de vista em relação ao dinheiro, do que da quantidade de dinheiro que você tem

Se você quer atingir a independência financeira, precisa entender que ela se trata de uma postura, uma visão, uma interpretação do que é o dinheiro, e não do dinheiro em si.

Creio que essa primeira idéia já deixei bem clara. Então vamos à segunda pergunta: 
"- Se independência financeira não tem a ver com ganhar ou acumular dinheiro, quais são as atitudes que nos trazem a IF?"

Veja algumas idéias do que é a verdadeira independência financeira:

Eu não me preocupo mais com dinheiro - Você alguma vez já se permitiu não se preocupar com dinheiro? Você provavelmente deve pensar: "Se eu tivesse dinheiro, não precisaria me preocupar com isso ou com aquilo." Mas quer saber? Você não precisa se preocupar, de uma forma ou de outra! Você pode simplesmente optar por não ficar se preocupando com dinheiro. Você tem o suficiente para viver? Para ter uma boa qualidade de vida? Pra quê mais?  Veja bem: "preocupação" significa o seguinte: um mau uso da imaginação. É ficar imaginando coisas ruins antes delas acontecerem. Percebeu a morfologia da palavra? pré-ocupação. É o inverso de ressentimento (que é sentir o que já passou). Aquele que se preocupa, sofre antes de acontecer. O pior tipo de pessoa é aquele que se preocupa antes, sofre na hora, e se ressente depois. Você é essa pessoa? Se sim, você precisa se libertar, pois você vive o inferno aqui na terra. O inferno são os outros? O seu inferno nesse caso é você e seus pensamentos. Ficar imaginando situações que nem sequer aconteceram só nos deixa nervosos. Ficar preocupado se seu FII vai ter vacância, ou se sua ação vai cair ainda mais, isso é escravidão financeira, e não liberdade. Eu decidi não me incomodar mais com dinheiro, e não faço mais isso. Eu não me preocupo mais com dinheiro, e você deveria fazer o mesmo. Fiz uma severa realocação do meu portfolio, e todo tipo de investimento que eu tinha que me trazia ansiedade foi convertido para modalidades que só me trazem paz. Isso faz parte da liberdade.  O dinheiro serve para nos dar segurança e tranquilidade, e não ainda mais ansiedade. O juro do tesouro vai cair mais? Vai subir? A Caruanã vai quebrar? O Máxima vai quebrar? A Torre Almirante vai alugar? Vai ter revisional no NSLU? Como estão as taxas do intermedium? O grupo já tem 1 milhão? Aeroporto de Guarulhos tá quebrado? CEMIG vai ser privatizada? Passa carro na rodovia  Tietê? Revisional em SPTW? Olho no HB todos os dias? Gente... isso tudo é loucura. Liberdade e independência não é isso. A gente precisa realmente se libertar.

Eu conheço muitas pessoas com dinheiro, e algumas delas que enriqueceram depois. Posso dizer que nunca nenhuma delas veio e me disse: "Michelle... estou tão mais feliz agora que tenho dinheiro...". Isso simplesmente não acontece. Qualquer pessoa que acha que o dinheiro vai comprar felicidade, com certeza nunca teve dinheiro. Dinheiro não traz felicidade. Nem um pouco. Se você quer realmente atingir a independência financeira, precisa acreditar nisso, ou você corre o risco de passar uma vida de privações, e quando finalmente chegar lá, sofrer da síndrome do "Tá, e daí?". Isso não é liberdade. Nós podemos ser feliz independente de nosso status financeiro. Sua felicidade tem muito mais a ver com a qualidade dos seus relacionamentos, com o tipo de vida que você vive, a forma como você lida com seus problemas, é daí que vem a felicidade. Independência financeira não vem de uma conta gorda. Vem da forma de você encarar a vida. 

O dinheiro é um instrumento para seus objetivos, mas não pode ser o objetivo em si. Vejo muitas pessoas definirem uma meta sobre quanto dinheiro querem juntar para dizer que atingiram o seu objetivo. Pois eu digo: Se o objetivo for apenas o dinheiro, ele nunca será o suficiente. Veja: dinheiro não pode ser o "fim". Dinheiro tem que ser o "meio". Uma vez entrevistaram o multibilionário americano Rockfeller, que continuava investindo e empreendendo mesmo depois de já ter uma enorme fortuna; e perguntaram para ele "Quanto dinheiro é suficiente?". A resposta dele é curiosa: "-Só um pouquinho mais..."

Você acredita que sua independência financeira vai ser feita de dinheiro? Pois corre o risco de terminar como um certo blogueiro, que ao atingir sua independência fianceira, continua no mesmo emprego, e vivendo uma vida de pobre... infeliz, e suas maiores preocupações na vida continuam sendo as mesmas: Juntar mais dinheiro, e elminar os quilos extras da barriga. Quanto dinheiro seria suficiente para ele realmente ser feliz e se libertar? "Just a little bit more..."